quarta-feira, 13 de maio de 2009

always?

Tem certas horas que eu sinceramente não sei o que fazer. Sabe quando os amigos precisam, e muito de você, e você não consegue dizer uma palavra que ajude? Eu me sinto imprestável diante da falta do que dizer! Isso me corroi por dentro de tal maneira que chega a roubar minhas poucas boas energias.
Eu queria poder resolver os problemas de todos, queria poder ser a amiga de que todos tivessem orgulho: "Poxa, A Vaca é a melhor amiga que eu poderia ter". E tenho realmente amigos que dizem isso de mim. Mas eu fico encucada: como eu, uma pessoa tão idiota, burra, insensível, incapaz de dar algum conselho nas horas que mais se necessita pode ser considerada uma boa amiga?
Me sinto menor que o protozoário do cocô do cavalo do bandido, reduzida à qualidade de um vírus, talvez... Embora não haja a mínima vontade de me replicar e distribuir o desalento do meu insignificante legado nessa vida.
Queria poder falar uma palavra carinhosa, e num passe de mágica mudar o destino, e tornar a vida um mar de felicidade para todos os que me cercam. Quando lembro que não é bem assim. Sei que na vida há a necessidade do sofrer, para que dele possamos aprender. É como ouvi um dia: Deus gosta dos fracos, para consolá-los. Eu sei o quanto sou fraca, e sei que só Deus pode permitir que eu me reerga, que eu encare a vida e não fuja como um rato foge de um gato.
Entretanto, apesar de todos os problemas, de todo o sofrimento, "quem sofre sempre tem que procurar, pelo menos vir achar razão para viver".
Talvez a única coisa que tenho a dizer para os meus amigos é agradecer-lhes pela consideração e pela lealdade a mim concedida. E que eles, mesmos imersos na dor, não desacreditem de seus sonhos.
Posso não demonstrar, mas a cada lágrima por vocês derramadas, é um grito de incapacidade que brota de dentro de mim. No entanto, apesar de sofrer com vocês, não posso deixar que vocês se percam na ilusão dos extremos do amor demais, ou da dor profunda. Creio que juntos buscaremos um equilíbrio, já que um dos sinônimos de amizade é apoio, alicerce; e para que se apoie, é necessário que haja um equilíbrio.
E sejam sempre o meu ponto de equilíbrio.

Larah e Paulo Henrique, Não desistam do que desejam, porque eu não desisto de vocês.

Um comentário:

Naaaany (; disse...

às vezes, um gesto vale mais que mil palavras :)

abrace!