segunda-feira, 28 de abril de 2008

E ao final da enquete, fica confirmado: a grande maioria não conversa com os pais sobre assuntos mais íntimos. Muitos estariam perguntando-se o porquê, que é algo muito simples: é difícil conversar porque nós sentimos vergonha, ou temos medo de sermos mal interpretados. Mas se essas barreiras e grande parte dos preconceitos fossem rompidos, isso seria mais fácil e muito mais saudável para todos nós. Bem sobre esse asssunto, é só isso o que eu tenho a comentar (;
No post passado, eu comentei sobre Pedro Bial e Sérgio Lorozza, mas deixei o espaço aberto a outras interpretações, e o leitor Felipe Sampaio usou o seu "direito de resposta", e em certo ponto até concordem com a sua abordagem. Ele falou que apesar destes profissionais aparentarem serem mal recompensados pela emissora, ou por não lapidarem todo o seu talento, os profissionais assim poderiam estar satisfeitos; por exemplo: Quem sabe o próprio Bial não goste de apresentar os programas que apresenta?
Nesse aspecto, eu até apoio. Mas ainda continuo achando uma "injustiça" não só com o potencial do profissional, mas até com os telescpectadores, que poderiam ter acesso a uma programação mais digna. E ainda assim, destaco que a população gosta da programação, pois mesmo com uma parte que não esteja conformada, nós ainda vivemos num país onde a ignorância muitas vezes prevalece. E esse o resultado ;/


kisses;*
p.s.: nos próximos posts voltarei menos radical :)

Um comentário:

Pam disse...

Ignorance is bliss