quarta-feira, 11 de março de 2009

RELIGIÃO X VIDA

Já ouvi muitos debates, vários versus (como religião versus história, religião versus ciência) e agora, vemos frequentemente religião versus vida. E coloco-me a pensar: até que ponto a religiosidade pode interferir na vida do indivíduo?
Uma das notícias mais divulgadas nos últimos dias foi o estupro de uma garota de 9 anos, que acabou engravidando do pedófilo do seu padrasto, e ainda de gêmeos!
Como sabemos, o sexo feminino, aos 9 anos de idade, encontra-se em processo de crescimento, de desenvolvimento sexual; e não porta atributos necessários para que se leve uma gravidez adiante - fazendo com que esta possa a ter complicações maiores ao longo da gestação. E, tendo ciência disto, os médicos da menor chegaram ao consenso de que um aborto deveria ser feito.
Porém, o arcebispo de Olinda e Recife, D. José Cardoso Sobrinho, tomou as providências que pôde para evitar que o isto acontecesse. Mas acabou acontecendo. Primeiro, porque se encaixava nas duas Leis que aprovam o aborto - Uma, por ter sido vítima de estupro, e outra, de prejudicar a vida da paciente: e esta se encaixava nos dois casos.
Ao perceber que perdera a batalha, o arcebispo como dizemos no popular "colocou a boca no trombone", disse e desdisse tudo o que quis, e decidiu que os médicos e a mãe da menina (por ser conivente com a ação) deveriam ser excomungados da Igreja Católica. E assim foram. Proclamou que aos olhos da Igreja o aborto é um crime, e que a lei dos homens jamais estará acima das leis de Deus - “Quando uma lei humana, quer dizer, uma lei promulgada pelos legisladores humanos é contrária à lei de Deus, essa lei humana não tem nenhum valor”.
Agora acompanhem meu raciocínio: deixar que uma pessoa morra, sem nada fazer para ajudá-la também não seria um pecado? A mesma religião que deveria existir para explicar o sentido da vida seria um obstáculo à sua existência?
Buscando raízes em tempos mais remotos; a Igreja era um meio corrompido e não seguia os princípios que ela mesma pregava; se aproveitava da fé alheia para manter seus lucros, terras, benefícios. Após a Reforma Protestante, ao perder quantidade considerável de fiéis, realiza a Contra-Reforma (onde as cartas de indulgência ¹ foram extintas; livros que falavam de outras religiões foram proibidos, com o Index; o Tribunal de Inquisição – ÓRGÃO QUE MAIS MATOU NO MUNDO – foi reativado! Sim, o correto é matar sim! A Igreja matou durante as cruzadas, matou milhares com o Tribunal, “fechou os olhos” para o nazismo, o fascismo, pro Apartheid...
E veja como é irônico: o órgão que mais matou no mundo, implicar com a morte de dois FETOS, que poderia levar a mãe, de 9 anos, a óbito caso a gravidez continuasse!
Como se não bastasse, parece que ainda vivemos na Idade das Trevas: a Igreja ainda acha-se detentora de todo o conhecimento, e grande senhora da razão. Assim como qualquer cidadão brasileiro, o presidente Luis Inácio Lula da Silva tem todo o direito a expressar sua opinião; porém, este, ao criticar a postura da CNBB, foi mandado pelo arcebispo a estudar Teologia para aí sim poder então, talvez, debater sobre o assunto.
Respeitar a individualidade de cada um é necessário, e proteger a vida, é mais ainda. Com este último acontecimento, tenho mais certeza de que ciência e religião não podem andar jutas, sendo que uma é um empecilho à outra. Assim como caminho cada vez mais na aceitação do famoso clichê de professor de história: quanto mais se lê, menos se crê; quanto mais se estuda, mais cético fica. E assim vou indo...

2 comentários:

Fw. disse...

AAHH Qrol.. ha polêmica nessa questão :P...
o negócio eh que infelismente [ ou seria felizmente? ] religião não se discute e vai ser sempre assim .. igreja brigando com estado ou com a ciência e nunca vai acabar...

Continue Assim xDD
Bjaum!

Anônimo disse...

PUTA QUE PARIO TODOS NÓIS SABEMOS QUE O ANTICRISTO É O PAPA, EELE AINDA VEM QUERENDO NOS ESCOMUNGAR.
VAI PRA PORRA VELHO!