quinta-feira, 2 de julho de 2009

Às vezes, é mais do que necessário saber a hora certa de estender a bandeira branca. Mas não adianta tentar se iludir, e achar que as coisas sempre sairão da maneira que a gente planeja, e ao nosso tempo.
Quando decidi escrever sobre isso, tinha outra situação completamente em mente; mas os meus pensamentos mudaram e eu, como sempre, fiz algo não digno de me arrepender, porém estranho (sim, parei de fazer o post, e fiz isso mesmo (Y).
Sabe quando você sente que há algo a ser feito, mas você sempre adia? Quando você o realiza, independente do sucesso ou do possível insucesso, de algum jeito você se sente aliviado. Bem, a minha parte eu fiz. E assim eu me sinto agora, com a sensação de parte do dever cumprido.
Às vezes é preciso abrir mão do seu orgulho, por mais que isso te encolerize. Tantas pessoas passam por aí, - nascem, crescem, talvez se reproduzam, talvez não, e talvez cheguem a envelhecer. E se envelhecem, morrem em seguida. Quantos e quantos morrem sem ter feito o que mais tinham vontade? Sem ter tido o gosto de dizer - "oi, eu meti o pé na jaca"; ou ainda "eu caí na fossa, mas to viva!" ?
Entre o não fazer e o arrepender-se há uma grande diferença entre o fazer e o arrepender-se. Há pelo menos a certeza de que se tentou. Se não conseguiu? Que se foda você, o mundo, o teu cachorro. A vida é maior do que qualquer coisa, e se não foi, quer saber? Não era pra ser.

Um comentário:

Brendinha disse...

Bom texto cara de boi tungão *_*
E ele me fez lembrar uma musica: "Hoje o tempo voa amor, escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir, e não há tempo que volte amor, vamos viver tudo que há pra viver!".
E é realmente como dizem... o que tiver de ser... será! Beijosmeliga ;*