segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Pleonasmo Mode On.

Quando resolvo pensar na política brasiliera, sempre me vem em mente o slogan do blog da Larah: "We're living a lie". Acho que durante os últimos dias we are living a lie passou a ser o meu mantra. Eu ligo a TV, só se fala sobre Sarney, Lula, Tasso, Renan, Senado! Abro minha página inicial da internet, notícias sobre o senado! Abro minha página inicial do youtube, e os vídeos indicados são sobre a discussão irrisória e escabrosa também no Senado! "Fulano culpa Lula pela crise no Senado". Senado. Senado. Senado. Senado!
Fico me perguntando se sou só eu que saturo com essa situação! Será que os brasileiros perderam a noção, o sentido, a ponto de colocarem no poder pessoas tão inescrupulosas? Será? Sinceramente nem é mais necessário que se coloque uma condicional - perdemos a vergonha sim.
Na década de 60, 70 o que mais se lutava era pela chamada "Liberdade". Protestava-se a favor da mesma liberdade que hoje perdemos o senso do significado. Será que as pessoas pensam que ter liberdade é poder assistir a novela das oita sem cortes? Poder assistir às pornografias de um BBB, ou as baixarias de um A Fazenda? Ou ainda escutar, cantar e dançar um "Esfrega a Xana no Asfalto" ???
As pessoas perderam o senso, perderam a consciência depois que receberam a tão sonhada "liberdade". Ah, adquiriram o poder do voto? Puderam dizer o que querem e o que não querem? Pois eu digo que a tortura não acabou! Tortura de verdade é ver todos os dias nos jornais toda essa roubalheira, e sem poder fazer absolutamente NADA, porque eu infelizmente, ainda não posso fazer a minha parte, que é a de votar; e sinceramente não acho que o meu voto faria muita diferença em meio a milhões e milhões de votos meramente DESORIENTADOS.


Essa sim é a falsa liberdade. Me diz então pra quê votar, se não se faz coisa alguma para mudar essa farsa? Collor tá aí. Não bastasse o impeachment, vocês elegeram-no mais uma vez, e não duvido que vocês elejam-no como presidente da república!


Me diz como pessoas que descem o nível de forma absurda, frente às câmeras, às rádios e outros meios podem ser portadoras do "futuro do país"? Mesmo país que Renato Russo foi tão rijo ao descrever. Que país é esse, heim?


O país, na mão deles, é uma bagatela; e nós, somos o quê? Pequenos marionetes. Somos apenas degraus que os fazem cumprir a sua sina, ou o seu mantra: "Roubar, renunciar, voltar na próxima eleição".






Vou cuidar é da minha saúde, porque do meu dinheiro, os políticos já cuidam.

E tem gente que ainda pensa que a política pode mudar o mundo... We are living a lie.

Um comentário:

Naaaany ☼ disse...

Como já diria o grande dr. House,

EVERYBODY LIES!