sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

traçando um novo caminho


Durante muito tempo, sempre coloquei os sonhos dos outros na frente dos meus próprios sonhos, talvez carregando (ou tentando carregar) o mundo nas costas. E agora, eu sinto que já é chegada a hora de viver a minha vida, independentemente dos meus "e se...'s", da minha preocupação com os sentimentos de pessoas que sequer teriam a capacidade de parar e pensar nos meus próprios sentimentos, cansei de depender do julgamento alheio pra tentar ser feliz. Li em algum lugar que não me lembro, que se fôssemos contar o tanto de vezes que fazemos más reflexões sobre nós mesmos, até o nosso maior inimigo sairia perdendo. Acho que um pouco mais de confiança em mim mesma me ajudaria a contornar isso. Cansei de dar lugar ao medo, à desesperança, ao meu achismo, a deixar que as chances passassem e passassem cada vez mais.
Digo que vou atrás do meu destino, se esse for o nome certo. Não sei se volto, afinal, nunca se sabe além da hora da partida e o que encontraremos durante o caminho. Talvez encontremos no fim a felicidade, talvez a felicidade seja mesmo o caminho; talvez a ida seja triste, dolorosa, e a volta alegre, ou de repente tudo pode dar errado - e perde-se a necessidade por aventuras, cresce-se a ânsia por liberdade gerada principalmente da perda da confiança.
E aos anjos que encontrei por esse velho caminho, só tenho a agradecer por terem me empurrado, em meio aos trancos e barrancos, e me ajudado a ser uma parte do que sou hoje.
Que o caminho que eu escolhi seja mesmo certo, não muito arriscado, mesmo que arriscar-se seja o início de qualquer coisa. Hoje, vou dormir, na esperança de um amanhã que apesar de me amedrontar, ainda me faz dar um simples sorrisinho de canto de boca.


A vida é mesmo assim: dia e noite, não e sim. E eu estou no meio desta contradição.

Um comentário:

Naaaany ☼ disse...

isso mesmo,vaka! a vida é uma só \oo/

às vezes precisamos ser um pouco 'egoístas' mesmo.



beijomeliga ;*